Asteróide gigantesco passará perto da Terra na semana que vem


Um asteróide que mede de 150 a 600 metros de comprimento passará tão perto da Terra na próxima terça-feira (29) que poderá ser visto com equipamentos bastante simples, afirmam fontes especializadas.

O asteróide 2007 TU24 causaria um grande dano se caísse na Terra, mas não há risco de colisão, afirmam.

O mais próximo que o objeto espacial ficará do nosso planeta será 534 mil quilômetros, por volta das 6h30, hora de Brasília, segundo a base de dados Near Earth Object (NEO), da Universidade italiana de Pisa.

Reprodução/Nasa
Ilustração mostra trajetória do asteróide no céu da Filadélfia durante a aproximação
Ilustração mostra trajetória do asteróide no céu da Filadélfia durante a aproximação; objeto vai chegar a 534 mil quilômetros da Terra

“Durante um breve instante o asteróide poderá ser observado em céus escuros e sem nuvens, com telescópios amadores de três polegadas ou mais”, informou a Nasa (agência espacial norte-americana), em seu site.

O 2007 TU24 será o asteróide potencialmente perigoso que mais se aproximará da Terra até 2027, acrescentou a Nasa, explicando que objetos de tamanho semelhante se aproximam da Terra, em média, uma vez em cada cinco anos.

O objeto foi descoberto em outubro do ano passado pelo programa de vigilância da Universidade americana do Arizona.

Recorde anterior

De acordo com o Centro dos Planetas Menores da União Astronômica Internacional, com sede em Paris, o asteróide mais próximo que passou na Terra, e foi detectado, foi o FU162, que em 31 de março de 2004 esteve a 6.500 quilômetros.

No dia seguinte da passagem do 2007 Tu24 pela Terra, o asteróide 2007 WD5 deve se aproximar 26 mil quilômetros de Marte, uma distância considerada ínfima em termos espaciais.

Uma decepção para os astrônomos, que inicialmente pensavam que havia a possibilidade de que ele se chocasse com o planeta vermelho. A colisão, levando-se em conta seu tamanho de 50 metros, geraria o efeito equivalente ao de uma bomba nuclear de três megatons.

Um objeto semelhante teria se chocado em Tunguska, na Sibéria, em 1908, arrasando 80 milhões de árvores em uma área de 2.200 quilômetros quadrados.

Obrigada pela participação.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s