Arquivo | março 2008

Massa sai da prova e Raikkonen vence GP da Malásia

massaCopiado de Folha Online

O finlandês Kimi Raikkonen, atual campeão da Fórmula 1, venceu neste domingo o Grande Prêmio da Malásia, realizado no circuito de Sepang. O polonês Robert Kubica (BMW) conseguiu seu segundo pódio com a segunda colocação. Outro finlandês, Heikki Kovalainen, da McLaren-Mercedes, chegou em terceiro.

O brasileiro Felipe Massa, que largou na pole position depois de marcar o melhor tempo no classificatório de sábado, parou na 31ª volta. Ele rodou e acabou parando na brita. Sobre o incidente, o brasileiro afirmou: “Não sei ainda o que houve, senti um negócio estranho no carro. Vamos esperar pra ver.”

A saída de Massa vem em um momento complicado. Sem pontuar — porque seu motor quebrou no GP da Austrália –, o piloto se viu envolvido em rumores sobre sua saída da Ferrari na próxima temporada. Segundo a revista italiana “Autosprint“, ele será substituído pelo alemão Sebastian Vettel.

A corrida era tida para o brasileiro como um “novo começo” e como a chance de superar o finlandês Kimi Raikkonen. Contudo, o finlandês ficou na frente a maior parte da prova, assumindo a liderança depois da primeira parada de Massa, na 17ª volta.

Rubens Barrichello (Honda) e Nelsinho Piquet (Renault) concluíram a prova, chegaram na 11ª e na 13ª posições, respectivamente. Nenhum dos dois pilotos pontuou, assim como Massa.

Barrichello foi punido por excesso de velocidade nos boxes e teve que fazer uma passagem pelo pit, na 48ª volta.

O inglês Lewis Hamilton, vencedor do GP da Austrália, acabou a corrida na quinta posição, depois de largar em nono. Com o terceiro e o quarto melhores tempos no treino classificatório, os dois carros da McLaren foram punidos com posições no grid por atrapalhar o tempo de outros pilotos.

Hamilton também acabou prejudicado no primeiro pit stop, quando um problema na carenagem da roda causou uma parada de quase 20s nos boxes.

Na classificação geral da temporada, Hamilton lidera com 14 pontos, seguido por Raikkonen e Heidfeld, ambos com 11; Kovalainen aparece com 10; Kubica tem 8; Nico Rosberg e Fernando Alonso somam 6; Jarno Trulli tem 5 pontos; Kazuki Nakajima conseguiu 3; e Mark Webber e Sébastien Bourdais somam 2.

A próxima corrida está marcada para daqui a duas semanas, no GP do Bahrein.

Classificação final

  1. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)
  2. Robert Kubica (POL/BMW)
  3. Heikki Kovalainen (FIN/McLaren-Mercedes
  4. Jarno Trulli (ITA/Toyota)
  5. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes)
  6. Nick Heidfeld (ALE/BMW)
  7. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault)
  8. Fernando Alonso (ESP/Renault)
  • David Coulthard (ESC/Red Bull-Renault)
  • Jenson Button (ING/Honda)
  • Nelsinho Piquet (BRA/Renault)
  • Giancarlo Fisichella (ITA/Force India-Ferrari)
  • Rubens Barrichello (BRA/Honda)
  • Nico Rosberg (ALE/Williams-Toyota)
  • Anthony Davidson (ING/Super Aguri-Honda)
  • Takuma Sato (JAP/Super Aguri-Honda)
  • Kazuki Nakajima (JAP/Williams-Toyota)

Não terminaram

  • Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso-Ferrari)
  • Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso-Ferrari)
  • Felipe Massa (BRA/Ferrari)
  • Timo Glock (ALE/Toyota)
  • Adrian Sutil (ALE/ Force India-Ferrari)
Anúncios

Páscoa – um pouco de história

Páscoa

Coelhinho da Páscoa, o que trazes pra mim?

A Páscoa não deve ser vista apenas como uma festa religiosa cristã. Ela tem muito significado histórico. Quem já leu o Antigo Testamento (leia antes de criticar) sabe que a bíblia é um dos principais livros históricos que temos. O ponto de vista é sem dúvida ligado a religiosidade, mas cabe a cada um interpretar os fatos. Assim como em qualquer livro de histórias.
Pois bem, a Páscoa é comemorada desde antes de Jesus Cristo, para celebrar a fuga dos hebreus escravos do Egito. Simplificando um pouco, é a história de Moisés, que se passa no filme “O Príncipe do Egito” da Disney. Bom, reliogidades a parte, eu considero essa uma data importante, já que a fuga dos hebreus possibilitou o nacimento de uma nação que influenciaria como poucas o mundo moderno. Mas isso já é uma outra história…

Abaixo mais informações colhidas na net sobre o significado histórico.

Fonte: Brasil Escola

Desde o mundo antigo, a páscoa consiste em uma das mais importantes datas do calendário de festividades do mundo cristão. Sua mais conhecida conotação religiosa se vincula aos três dias que marcam a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Entretanto, muitos estudiosos tentam dar outra interpretação a esse fato, trazendo uma consideração, uma visão menos denotativa à história da ressurreição.

Em uma perspectiva histórica da formação das crenças cristãs, alguns estudiosos apontam que o cristianismo, ao florescer em sociedades marcadas pelo politeísmo e por várias narrativas míticas, acabou incorporando a idéia de imortalidade presente em outras manifestações religiosas. De acordo com os pesquisadores M. Goguel, C. Guignebert, e A. Loisy, a morte trágica seguida do processo de ressurreição vinculada a Jesus em muito se assemelha às histórias de outros deuses como Osíris, Attis e Adônis.

Estudos mais recentes apontam que essa associação entre a páscoa cristã e outras narrativas mitológicas está equivocada. A própria concepção de mundo e as funções pelas quais o processo de morte e ressurreição assumem nas crenças orientais e greco-romanas não podem ser vistas da mesma maneira que na construção do ideário cristão. O estudioso A. D. Nock aponta para o fato de que no cristianismo a crença na veracidade da história bíblica é uma chave fundamental de seu pensamento ausente na maioria das religiões que coexistiram na Antigüidade.

Interpretações mais vinculadas à própria cultura judaica e à narrativa Bíblica apontam a Páscoa como uma nova resignificação da festividade de libertação dos hebreus do cativeiro egípcio. Nessa visão, a libertação do cativeiro, enquanto um episódio de redenção do povo hebreu, se equipararia à renovação do Cristo que concedeu uma nova esperança aos cristãos. Apesar de a narrativa bíblica afirmar que o episódio da ressurreição foi próximo à festa judaica, a definição do dia da Páscoa causou uma contenda junto aos representantes da Igreja.

No ano de 325, durante o Concílio de Nicéia houve a primeira tentativa de se estabelecer uma data que desse fim às contendas com respeito ao dia da Páscoa. Mesmo tentando resolver a questão, só no século XVI – com a adoção do calendário gregoriano – as dificuldades de se precisar a data da páscoa foram amenizadas. A data ficou estipulada no primeiro domingo, após a primeira Lua cheia do Equinócio da Primavera, entre os dias 21 de março e 25 de abril.

Mesmo sendo alvo de tantas explicações e contendas, a Páscoa marca um período de renovação entre os cristãos onde a morte de Jesus deve ser lembrada com resignação e alegria. Ao mesmo tempo, trás ao cristãos a renovação de todo um conjunto de valores fundamentais à sua prática religiosa.

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Veja Mais – História do Ovo de Páscoa.

prince1lg.jpg

Fonte wikipedia

A Páscoa (do hebraico Pessach, significando passagem) é um evento religioso cristão, normalmente considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e a mais importante festa da cristandade. Na Páscoa os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo (Vitória sobre a morte) depois da sua morte por crucificação (ver Sexta-Feira Santa) que teria ocorrido nesta altura do ano em 30 ou 33 d.C. O termo pode referir-se também ao período do ano canônico que dura cerca de dois meses a partir desta data até ao Pentecostes.

Os eventos da Páscoa teriam ocorrido durante o Pessach, data em que os judeus comemoram a libertação e fuga de seu povo escravizado no Egipto (Portugal, África e Timor) Egito (Brasil).

A palavra Páscoa advém, exatamente do nome em hebraico da festa judaica à qual a Páscoa cristã está intimamente ligada, não só pelo sentido simbólico de “passagem”, comum às celebrações pagãs (passagem do inverno para a primavera) e judaicas (da escravatura no Egito para a liberdade na Terra prometida), mas também pela posição da Páscoa no calendário, segundo os cálculos que se indicam a seguir.

A última ceia partilhada por Jesus e pelos discípulos é considerada, geralmente, um “seder do pesach” – a refeição ritual que acompanha a festividade judaica, se nos atermos à cronologia proposta pelos Evangelhos sinópticos. O Evangelho de João propõe uma cronologia distinta, ao situar a morte de Cristo por altura da hecatombe dos cordeiros do Pesach. Assim, a última ceia teria ocorrido um pouco antes desta festividade.

Novo The Sims dará mais liberdade aos personagens

fonte: folha online

A EA (Eletronic Arts) anunciou nesta quarta-feira (19) os primeiros detalhes da nova versão da série The Sims, game que surgiu em 2000 e logo se tornou sucesso por simular a realidade. A previsão é que a nova versão seja lançada apenas em 2009.

O The Sim 3 tem como principal novidade a maior liberdade dos personagens em interagir com a vizinhança. O game promete personagens próximos do real e também inúmeras possibilidades de personalização. Segundo a empresa informa em nota, o game será mais realístico do que nunca.

A lógica do game seguirá a mesma, porém com mais opções. Para criar seu “Sim”, o jogador poderá escolher entre as mais de 700 milhões de combinações psicológicas, fazendo com que os personagens sejam menos previsíveis do que em edições anteriores.

Novas ferramentas de criação também darão mais liberdade para os jogadores personalizarem seus ambientes.

Outra novidade será a nova arquitetura das cidades, permitindo que “Sims” andem pela vizinhança e visitem os outros personagens livremente.

No novo game será possível descobrir como é a casa e as famílias dos outros “Sims” e também conhecer locais diferentes, como a “City Hall” ou a praça local, criando um novo estilo de vida para os personagens.

A série The Sims já vendeu cerca de 98 milhões de unidades desde que foi lançado, em 2000. O game já foi traduzido em 22 línguas diferentes.

Um agradecimento a São Francisco de Assis

Senhor: Fazei de mim um instrumento de vossa Paz!
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a .
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz!
Ó Mestre,

fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe.
Perdoando, que se é perdoado e
é morrendo, que se vive para a vida eterna!

Vagas Urgentes – será mesmo?

Relato de um desesperado para encontrar emprego sobre as vagas ditas como URGENTES mas que nunca são respondidas.
(excerto de um e-mail de uma lista de discussão sobre empregos)

Enfim, eu acho que sobre o URGENTE, aí os professores de português de plantão, devem concordar, as pessoas não tem mais capacidade de expressão!
Sim, pois creio que não seja MEU ENTENDIMENTO, e sim o que realmente a palavra quer dizer URGENTE é algo que tem que ser solucionado o quanto antes!

Quando aqui, anunciei vagas urgentes, por exemplo, é porque a empresa necessitava de profissionais qualificados para uma determinada posição. E mesmo com URGENTE destacado, a coleta de CVs foi insuficiente…

Por outro lado, acho que pelo grupo, que estou quase desde seu princípio fazendo parte, ENTREVISTA de ir até um local, em todo o tempo que faço parte do grupo, fiz apenas 4…isso vai virar um calculo matemático…. Supondo para ficar mais fácil, 2 anos de grupo…e nas épocas que buscava nova colocação, devem ter sido mais de 300 cvs enviados ao longo desse tempo (estimando por baixo)…ou seja no mínimo 12.5 cvs por mês para 4 entrevistas… é muito pouco.

A verdade é que não sabemos para que enviamos CVs. Acho que alimentamos bancos de dados de empresas de RH, que quando precisam, chamam os candidatos… O problema é que estamos num ciclo vicioso:

  1. Enviamos o CV
  2. NÃO TEMOS RESPOSTA
  3. Ficamos bravos por não ter resposta
  4. RHs se acham no direito de não posicionar o candidato, como se A AUSÊNCIA DE RESPOSTA fosse a aceitação do NÃO QUALIFICADO/CLASSIFICADO para a vaga…
  5. Ficamos “P” da vida com tudo isso
  6. esbravejamos
  7. entramos em depressão…
  8. pensamos em mudar de carreira…ou partimos a pensar ONDE FOI QUE EU ERREI ?!? Que curso que deixei de fazer !?!?!?
  9. daí ficamos nos culpando de não ter tido sucesso (e as vezes encontramos a resposta no QI que pegou a vaga, que normalmente ao nosso ver era um “profissional” nada apto ou menos apto que nós mesmos)
  10. por fim de alguns dias de desilusão… e ainda sem resposta nenhuma de RH… (e ai de você se você exigir isso…) nos contentamos a novamente iniciar o CICLO.

Talvez sejamos alvos de uma cultura onde nos dispomos a rastejar por migalhas, ou esperar as sobras já que não temos QIs…. Não sei.

Hoje não estou muito bem para responder, ou talvez devesse me contentar apenas em ler, pois essa semana, tive que ficar dando apoio a 3 amigos que se encontram nessa situação, e chego hoje, sexta-feira, sem mais ter o que dizer para anima-los. Mas só posso conforta-los que já fiquei meses nessa mesma situação, e acho que ele é meio cíclica também, e que uma hora a gente sai do buraco 🙂

Agora sobre mostrar o que somos além de apenas uma folha A4, já escrevi aqui mesmo em outra oportunidade, que o CV não quer dizer nada! NADA MESMO! Pois pode ser que uma hora ou outra passemos por uma PROVA DA VERDADE, onde terá você de um lado e seu cv do outro!

Como sempre, vou contribuir por experiência própria no relato….

Certa vez, estava eu trabalhando, para variar, igual um condenado em uma empresa, e como sempre na área de TI e Telecon, e meu chefe (dono da empresa) me perguntou se demoraria muito tempo para eu sanar todos os problemas do servidor. Falei para ele que eu estava analisando o ocorrido, deixado pela pessoa que ocupava a vaga antes de mim. Passadas 3 horas ele me chama para uma reunião. Ao entrar na sala, propositadamente, ele deixou o meu CV sob a mesa dele e me pediu uns minutos que ele já retornaria. Obviamente ele queria que eu visse o rabisco enorme em vermelho no meu cv onde dizia que eu TINHA experiência no sistema operacional daquele servidor!!! E não pude deixar de reparar aquilo. Mas mantive minha calma, pois tudo que estava no meu cv era o que eu fazia ou já tinha feito (e tinha como comprovar). Alguns minutos mais tarde ele entra na sala, com um sorriso sarcástico no rosto e diz. Então seu Antônio, meu Servidor Novell, volta a funcionar 100% quando? Afinal, você tem vasta experiência nisso! Como você diz no seu CV…
Muito calmamente eu respondi: prezado senhor X, olha o problema que ocorre no servidor, já sei qual é, já fiz minhas pesquisas, e já apliquei a solução, porém, preciso validar se não existem mais falhas. E a respeito da minha experiência, queria que deixasse claro, o que está no CV que está na sua mão, a minha experiência em NOVELL é restrita a ADMINISTRAÇÃO da rede (Curso CNA Novell – Certifield Novell Administrator), o problema do servidor é para um nivel CNE (Novell Engeneer)… entretanto, sanei o mesmo. Agora se o problema persistir, e o Senhor achar que deve chamar alguém mais capacitado, me coloco a disposição para sua decisão a respeito.

Enfim, tudo ficou bem. Mas eu acabei depois de um tempo pedindo demissão de la por outros motivos. (um deles a exigência da vaga e a incompatibilidade financeira) Aliás o que é comum na maioria das ofertas de emprego. Pede-se um nível elevadíssimo de conhecimento e um salário que não chega a mil reais. (muitas vezes não passa de 800)

O que quero dizer, é que as vezes, as pessoas colocam na folha A4 um mundo de ALICE (é a personagem do conto Alice no país das maravilhas) e faz o SuperHiperMega CV… mas não tem capacidade ou sequer realizou realmente tudo aquilo que está no CV e na hora que aperta as coisas fica “feio”.
Porém, tem esse outro lado, a pessoa que te contratou, sequer LEU seu cv conforme a experiência acima mostrou. Pois existe uma diferença bem acentuado entre os dois profissionais.
Bom pessoal, é só para dar continuidade ao assunto que comentei e expus opiniões aqui.

To cansado demais essa semana. E como a maioria, um tanto quanto desanimado com o panorama geral frustrado talvez por ter recebido o salário ontem, e ter sobrado 0,10 centavos na minha conta e ainda dever para a faculdade. chateado com isso, pois sei que não consigo prover uma ALAVANCA de carreira com mais estudos…pois custam caro…e saber que vou ter que fazer mágica para passar mais 30 dias com apenas 10 centavos no bolso…. meu Deus!

Para terminar, ontem ouvindo um programa de rádio, ouvi uma discussão sobre o absurdo que está hoje a necessidade de se falar outro idioma dentro de uma empresa. Todos os entrevistados estavam comentando que isso não deveria ser assim, que os GRINGOS sim, por estarem no Brasil deveriam falar português… e não nós a língua deles… Enfim… como todas as discussões de carreira… isso da muito pano pra manga 🙂

Enfim, mesmo sabendo que agora que faço declarações abertas que podem FERIR o orgulho de RHs por aí, pois verdades são ditas, e isso as vezes acaba por selar o destino de um insucesso em uma futura oportunidade… fica a história 🙂