Arquivo de Tag | efemeridade

Tocando em Frente

Tocando em Frente

Almir Sater

Composição: Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Todo mundo ama um dia todo mundo chora,
Um dia a gente chega, e no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Ando devagar porque já tive pressa
Levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
E ser feliz

estrada

BIGORNA

BIGORNA

Saio do trabalho atrasada, tomo uma chuva com vendaval. Meu guarda chuva vira do avesso e eu viro um pinto molhado. Chego em casa ensopada, ligo o PC pra trabalhar no freelances atrasado enquanto troco a roupa molhada.

ZIP! O computador desligou. Checo e a tomada parou de funcionar. Troco de tomada e nada. Checo TODAS AS tomadas do apartamento e nenhuma coopera. Pane.

Encontro uma tomada gentil que sobreviveu, na cozinha. Levo toda a tralha do PC pra lá, inclusive a grande poltrona reclinável. Ligo o PC, musiquinha do Ruindows startando… Cadê meu pano de fundo e minhas configurações?

Crep do Windows. Nenhum programa pode ser executado, ele “não acha”. Ta alí! Mas o cegueta não vê.

Saio correndo para o segundo período de aula. Meu cachorro carente fica chorando baixinho na caminha. Saio chorando de remorsos. Correndo, por sinal.

A professora novata, com medo de paralisação por greve, decide trocar a prova que seria semana que vem para AMANHÃ! 😦

Vou pro laboratório imprimir matéria. Impressora lerda, perco a hora. O portão fechou! Terei que sair pela entrada principal, láááá do outro lado e andar mais uns 10 quarteirões à 1h da manhã pra chegar em casa.

Chego e meu cachorro carente descobriu o que é “saco de lixo” e como eles são frágeis. Tem milho e casca de tangerina até no pensamento da casa. Sem contar os respingos do resto de leite que tinha na caixinha. Quem manda não separar para reciclagem??

Limpo toda a sujeira. 2h da manhã, meu deus, eu tenho que estudar!

Vou dormir e levo o cachorro junto, ele tá carente.

Acordo com uma lambida na cara e uma mordida na testa! Devolve minha meia, Chicão! Não vou trabalhar para ficar estudando. Não termino meu projeto que já estava atrasado e o cliente cancela o contrato. O chefe fica brabo e me ligando de hora em hora. É melhor começar a mandar currículos.

Mas não tenho internet.

Aproveito que fiquei em casa (e não tenho nem como ligar TV, esqueceu-se das tomadas?) e saio para pagar contas. O caixa eletrônico mastiga e quebra meu cartão. Requisito outro ao banco, mas sou informada que ele foi enviado ao meu endereço antigo, já que faz só 1 mês que mudei e ainda não tenho comprovante de residência para apresentar.

15 dias para um novo cartão.

Venho na internet e descubro que meu freela não vai dar certo.

Piso no coco de cachorro (não do meu), e em uma goiaba podre. Meu pé fede.

Volto pra casa para estudar e meu cachorro carente comeu minhas listas de exercícios.

Agora só falta uma BIGORNA cair na minha cabeça, como nos desenhos do pica-pau. Espero que ela não caia na hora da prova.

IMPONTUALIDADE DO AMOR

Você está sozinho. Você e a torcida do Flamengo.
Em frente à tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha.
Trimmm! É sua mãe, quem mais poderia ser? Amor nenhum faz chamadas por telepatia.

Amor não atende com hora marcada.
Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios.
Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras.
O amor dá meia-volta, volver.

Por que o amor nunca chega na hora certa?
Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans.
Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz.
Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio.

O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina.

Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você.
Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana.
Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros.
Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida.

O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa.

O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste.
Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando
sozinho dentro de um carro.

Pode estar aqui mesmo, ao seu lado, dando o maior mole.
O amor está em todos os lugares, você que não procura direito.
A primeira lição está dada: o amor é onipresente.
Agora a segunda: mas é imprevisível.

Jamais espere ouvir “eu te amo” num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa.
O amor odeia clichês. Você vai ouvir “eu te amo” numa terça-feira, as quatro
da tarde, depois de uma discussão e as flores vão chegar no dia que você
tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza.

Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.

Luis Fernando Veríssimo

Cem melhores crônicas: Mário Prata

Add to Technorati Favorites

Mário PrataComecei a me empolgar com blogs quando passei a publicar crônicas. E sempre tinha uma do Mário Prata, religiosamente às quartas-feiras.

Mas um dia o Pratinha resolveu parar de escrever ao Estadão semanalmente, após 15 anos, e eu desanimei delas. Tentei Cony, mas chateei-me l0go. Tenho ainda uma pasta de plásticos com as crônicas de quarta-feira do Mário da época que eu lia jornal de papel. Recortava e guardava todas.

As que escrevo não tenho tanta coragem de publicar… Só quando eu tiver certeza de que ninguém que conheço lê essa porcaria aqui, hehehe. Rata de internet que sou, sei que isso é praticamente impossível. Só se eu tivesse um segunda personalidade mesmo. Carrego um caderninho comigo. Chamo-de de “cache”. Tenho um “volume inteiro” de “Crônicas de Rodoviária”. Você não acredita o tanto de histórias cotidianas que acontecem nas rodoviárias… Qualquer dia publico uma aqui.

escritorO que me fez gostar de ler e escrever as tais crônicas foi um trabalho de faculdade que fiz aos 17 anos para uma vizinha. Ridículo isso, mas ela me pagou ($50 na época, acho) para que lesse uma dúzia de livros do Mário e escrevesse uma monografia sobre Crônicas. Gostaria de passar a vida ganhando $$ assim! Lendo livros e escrevendo sobre eles. Alguém aí ta a fim de pagar? 😉 Na época, eu sem entender nada de monografia, escrita científica e principalmente Literatura, consegui um 10 para a preguiçosa.

Deixo indicado uma coletânea do Mário, lançado no fim do ano passado:

CEM MELHORES CRÔNICAS, Mário Prata, Editora: PLANETA DO BRASIL, 376 páginas
Compilado pelo próprio autor, ‘Cem melhores crônicas’ – que, na verdade, são 129 – dá uma grande idéia das características do texto de Prata que o fizeram um dos escritores de mais sucesso no Brasil. Sexo, mulher, futebol, entre outros temas, são abordados com a maestria de quem aglutina humor, crítica e uma boa história para prender o leitor do início ao fim.

Não esqueça de ver o valor do frete, nem sempre compensa comprar na net. Estou juntando meu $$ pra comprar o meu, se já leu contaê como é. Este mês a $ ta curtinha. 😉

ouvindo: “Saudosa Maloca”

Já é Carnaval?!?!?!!!

Já é Carnaval, ontem mesmo era “ano novo”! O ano ta acabando!!!! Desespero!!! hehehe

Credo, essa coisa do Carnaval ser “mais cedo” neste ano nos faz ter a impressão de que o tempo está passando mais rápido. Isso reafirma a teoria da relatividade (huahuahua – não leia isso) e o porque de o tempo demorar tanto a passar quando estamos trabalhando e voar quando estamos alegres e contentes com os amigos.

E a culpa é da Igreja, já que a data é calculada pela data da Páscoa. Olhe abaixo o que descobri no wikipedia:

Cálculo do dia de Carnaval

Todos os feriados eclesiásticos são calculados em função da data da Páscoa. Como o domingo de Páscoa ocorre no primeiro domingo após a primeira lua cheia que se verificar a partir de 21 de março, e a sexta-feira da Paixão é a que antecede o Domingo de Páscoa, então a terça-feira de Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa e a quinta-feira do Corpo de Cristo ocorre 60 dias após a Páscoa.

Cálculo da Páscoa

A Páscoa é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua cheia que ocorre depois do equinócio da Primavera (no hemisfério norte, outono no hemisfério sul), ou seja, é equivalente à antiga regra de que seria o primeiro Domingo após o 14º dia do mês lunar de Nisan. Poderá assim ocorrer entre 22 de Março e 25 de Abril.